Quando seu cliente perguntar sobre redes e capital social, Twitter e Facebook, diga a ele que é possível crescer com conteúdo interessante, talento e constância.

Com o advento da internet surgiram diversas ferramentas de comunicação mediadas pelo computador que possibilitam a troca de informações entre as pessoas.

As redes sociais são o maior exemplo dessa interação. O sucesso do Orkut, Twitter, Facebook, Flickr, MySpace, Fotolog, Linkdln, Sonico, além dos blogs, se deve não apenas porque facilitam o contato entre as pessoas com assuntos de interesse em comum ou as relações pessoais, mas também devido as constantes mutações que sofrem.

Quanto mais interações são feitas nessas redes, mais elas se transformam e melhoram para atender de forma satisfatória seus usuários, o que acaba gerando popularidade e atraindo anunciantes.

As redes sociais

O estudo da sociedade através do conceito de redes começou no início do século passado, quando os cientistas começaram a preocupar-se em compreender a interação entre as partes de um fenômeno, e não mais dissecar as partes isoladamente para entender o todo.

Enquanto o uso da metáfora rede foi utilizada pela primeira vez em 1736 e se referia ao estudo das Pontes de Königsberg, feito pelo matemático Leonard Euler, apenas no final da década de 90 o estudo da rede teve a devida atenção sob o aspecto social.

Uma rede social é composta pelos atores (pessoas, empresas, grupos) que são os nós, e por suas conexões, que são os laços e as interações que estabelecem entre si.

Um nó pode ter uma ou várias conexões, dependendo da sua popularidade na rede. Deste modo, quanto mais pessoas seguem um perfil no Twitter, por exemplo, mais conexões ele faz na rede e maior é a sua popularidade. Essa popularidade cria confiança nestes espaços e gera chamado capital social da pessoa.

O capital social

Mano Menezes, atual técnico do Corinthians, possui mais de um milhão de seguidores no Twitter. Ele, por sua vez, não segue ninguém, mas o seu capital social elevado o torna um nó central na rede, visto que, quanto mais ao centro um nó fica, mais popular ele é. O diferencial dos perfis mais seguidos no Twitter está na credibilidade que alcançaram através do conteúdo de valor que produzem e disseminam.

O Facebook possui um aplicativo que mostra de forma muito clara as conexões do seu perfil na ferramenta e a dimensão do seu capital social. No TouchGraph, além de visualizar os grupos e as pessoas com os quais se está vinculado, ao passar o mouse sobre a foto de um amigo, é possível ver com quais pessoas da sua rede ele está conectado.

Nos blogs também podemos encontrar uma grande rede de pessoas com capital social elevados. As blogueiras de moda, por exemplo, mencionam na sua página outras blogueiras que produzem conteúdo sobre o assunto e assim formam laços e vão ganhando visibilidade nas redes sociais.

Criar laços

Qualquer pessoa pode aumentar o seu capital social mas, para isso, precisa criar laços com outros atores sociais que possuem interesses em comum. Além, é claro, de produzir conteúdo relevante que trate de novidades e inovações da área temática.

Todas as redes sociais possuem objetivos próprios, seja para manter algum tipo de relacionamento entre as pessoas, seja para se destacar. Independente de suas especificidades, em todos os sites de relacionamento deve-se criar um perfil para conseguir interagir com os outros usuários através da troca de mensagens e ganhar popularidade. Ao entrar em qualquer rede social o usuário ganhará exposição pública e isso é essencial para que ele seja conhecido.

Para aqueles que possuem um blog, avaliem o uso de sites como Blog Blogs e Technorati, que cadastram e divulgam blogs e mostram o que está sendo produzido sobre o assunto por outras pessoas.

No Orkut existem diversas comunidades que tratam de temas específicos e são espaços de divulgação de suas ideias.

Já no Twitter, basta seguir aquelas pessoas que possuem expertise na área do seu interesse e começar a dar a sua opinião sobre os temas debatidos. Tudo é uma questão de estar acompanhando as novidades e ficar atento às oportunidades geradas na Internet.

Referências
RECUERO, Raquel. Redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.
Por Daniela Machado [Webinsider]